Search here...
TOP
Sabias Que?

7 hábitos que poupam a carteira e o ambiente

As primeiras “desculpas” que oiço quando falo numa vida mais sustentável e amiga do ambiente têm sempre a ver com dinheiro. “Isso é tudo mais caro” ou “não tenho dinheiro para isso”. Por isso hoje quis trazer-vos 7 dicas (mudanças de hábitos), com as quais podem poupar dinheiro e o planeta. Mas para além disso são dicas nas quais não têm de fazer qualquer investimento monetário, por isso serve para toda a gente. És estudante e (tal como eu) tens a carteira à conta? Isto é ara ti! Tens uma família grande e o dinheiro é pouco? Continua a ser para ti!

7 mudanças de hábitos que te vão fazer poupar dinheiro e o ambiente.

1. Banhos de 5 minutos ou menos

Sabias que em média cada minuto de banho gasta 7 litros de água?! Parece irreal, um banho de 10 minutos desperdiça cerca de 70 litros de água, isto é, 14 garrafões de água! Infelizmente a maior parte de nós gasta bem mais que isso num banho, temos hábitos exagerados e demoramos “séculos” a tomar banho. Mas não tens de ser super radical e deixar já o banho de 15 minutos para 5 minutos. Podes ir ao poucos, em primeiro lugar tenta reduzir 2 minutos ao teu banho todas as semanas. Se antes eram 15 minutos por banho, nesta próxima semana tenta fazer 13 minutos, se for preciso mete um alarme para controlar. Aos poucos vais ver que sem esforço vais conseguir reduzir o tempo que passas debaixo de água! Vais não só estar a poupar água, como a poupar dinheiro na fatura da mesma.

2. Fazer comida em casa

Este é daqueles hábitos que todos devíamos ter. Mas com a vinda da fast food e facilidade de ir comer a qualquer sítio, mesmo que seja cantinas, foi-se perdendo. A refeição mais barata que se consegue arranjar indo comer a algum lado é ir à cantina, paga-se no máximo 3€ e temos ali a “papinha” feita. Isto 5 vezes por semana fica nos 15€, mas será que não fica mais em conta fazer em casa? Fica sim! Não precisam de ter mais trabalho a fazer outra comida especial para o almoço, iam gastar mais energia/gás a fazê-lo. Simplesmente façam a vossa comida do jantar a duplicar, assim colocam logo num recipiente e no dia seguinte é só levar numa lancheira!

Vê o top 10 da Excelent em blogs de receitas portugueses

3. Andar a pé se a distância for curta

Quando andei a planear o meu estágio e a ver como me poderia deslocar para o mesmo passei por 2 hipóteses. Ou andava cerca de 7 minutos e depois apanhava metro ou andava 20 minutos a pé. Não tendo nenhum problema físico que me impossibilite de andar a escolha foi óbvia, poupo o dinheiro do bilhete e ainda faço exercício! Isto aplica-se a todas as mini deslocações que às vezes fazemos de carro ou transportes públicos sem necessidade nenhuma, principalmente com bom tempo.

4. Optar por transportes públicos/partilhados se a distância for grande

Se a distância que tens de fazer é impossível de fazer a pé, pelo menos em tempo agradável, opta por um transporte que não o carro. Embora o carro seja sempre mais confortável, o dinheiro gasto no combustível e a poluição do mesmo não compensam. Quase todas as cidades têm transportes públicos como autocarros, e nas grandes cidades até o metro. Para além de ser mais rápido na maioria das vezes, fica mais barato e o planeta agradece. Se preferes andar sozinho(a) e estiver bom tempo podes sempre optar por andar de bicicleta!

5. Usar a luz natural ao máximo

Quantas vezes já te levantaste, ligaste a luz, foste tomar banho e arranjar-te e só depois desligaste a luz e abriste os estores? E se logo após te levantares abrires os estores? Vais ter uma luz muito mais agradável que para além disso ainda te vai dar mais vontade de começar o dia. Mas isto aplica-se para qualquer ocasião do dia. Das coisas que me faz mais confusão é chegar a alguma divisão da casa e ver uma luz ligada sem necessidade nenhuma, ou melhor, por preguiça! Se está luz na rua aproveita e deixa entrar ao máximo. A qualidade da luz de uma lâmpada não se compara à luz que o sol providencia. Queres menos luz? Então deixa apenas parte dos estores abertos.

Uma mudança mais drástica seria moveres os teus hábitos à volta da luz solar, isto é, ter o máximo de tempo em que se está acordado com luz natural. Se te deitas tarde e levantas igualmente tarde, estás a desperdiçar muitas horas de boa luz da manhã. Eu sei que não é para todos, às vezes os trabalhos não o permitem, mas se tens a possibilidade tenta fazer esta mudança e aproveitar melhor o dia. Vais ver que parece que rende mais!

6. Comprar apenas o que realmente se precisa

Esta dica serve para tudo e mais alguma coisa, é a base do minimalismo. Mas ao contrário do que muitos pensam aplica-se também à comida. Aqui os maus hábitos reflectem-se em desperdício alimentar… Qual é a necessidade de comprar um pacote de natas de 500ml, porque é mais barato (ao kilo), se depois metade estraga-se? Provavelmente a embalagem mais pequena, individualmente, era mais barata e chegava na perfeição. Para além disso ainda podem comprar a granel a vossa comida. Assim garantem que por um lado poupam dinheiro e por outro estão a reduzir nas embalagens.

Na roupa aplica-se a mesma regra, pensa duas vezes antes de comprar uma peça. Acima de tudo pensa se a irás usar mais do que uma vez, se combina com várias coisas que já tens e por último se é algo que vai durar e vais gostar durante vários anos.

Se quiseres saber mais sobre comprar a granel visita o artigo sobre a ida à mercearia Maria Granel.

7. Optar por uma garrafa reutilizável

Existem muitos hábitos ligados ao consumo de água. Há quem não goste de água da torneira, há quem beba apenas uma marca em particular, etc. Para adicionar ao argumento o valor das garrafas reutilizáveis vem sempre “ao barulho”, mas será que é preciso comprar uma? Não! Claro que podes comprar a tua garrafa de vidro ou de inox, mas existem formas mais baratas de teres a tua garrafa.

Estás a ver aquelas garrafas de popa de tomate?! Sim essas mesmo, podes guardar uma lavá-la bem (aconselho a colocar na máquina se tiveres) e encher de água quando quiseres! Ficas com uma garrafa toda gira e muito mais sustentável do que as de plástico. Para além disso podes sempre aproveitar as garrafas de bebidas que sejam em vidro, como por exemplo água das pedras. Antes de fazeres a mudança conta quantas garrafas compras por semana, depois faz a conta ao mês e ao ano. Vais ver quanto poupas com uma simples mudança!

Partilha nas tuas redes sociais

«

»

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *